Começando com MeteorJS

MeteorJS é plataforma completa para construir aplicações web e móveis em tempo real usando JavaScript, o mesmo é escrito em Node.js. Portanto, é mais que um framework. Por padrão, usa MongoDB para o banco de dados e Handlebars como linguagem de template. Ele foi apresentado a comunidade em dezembro de 2011 com o nome de Skybreak. A versão 1.0, foi lançada em dezembro de 2014, sendo uma declaração pública de estabilidade.

A principal característica é que você terá um ambiente completo pra desenvolver e gerenciar uma aplicação desde o banco de dados MongoDB, backend Node.js, frontend JavaScript e build mobile usando Cordova do Phonegap.

DDP

DDP é muito simples e minimalista. É um protocolo baseado em JSON. Tecnicamente, DDP pode ser implementado em cima de qualquer transporte duplex. A implementação atual do Meteor é baseada em WebSockets e SockJS. SockJS é um transporte de emulação WebSockets, que pode ser usado quando o WebSockets não está disponível.

DDP é o coração do MeteorJS e é o protocolo que o mesmo usa para se comunicar entre o cliente e o servidor. DDP é uma sigla para Distributed Data Protocol. Meteor implementou ambas as implementações de cliente e servidor para DDP. Existem algumas bibliotecas do lado cliente para frameworks e linguagens para se conectar com Meteor via DDP.

Instalação

Windows

Para instalar no Windows, basta acessar o Link.

OS X ou Linux

Poderá instalar utilizando a biblioteca cURL.

1
curl https://install.meteor.com/ | sh

Meteor Tool

Meteor Tool é uma CLI (Command Line Interface), que gerenciará o que for necessário para o desenvolvimento com o Meteor. Para verificar que já pode testar, basta no terminal, executar o comando:

1
meteor --version

Princípios do Meteor

  • Dados na rede: Não envie HTML pela rede e sim apenas dados para deixar o cliente decidir como renderizá-lo.
  • Uma só linguagem: Escreva código Javascript em ambas camadas: cliente e servidor.
  • Banco de dados em todo lugar: Utilize uma API de interface única e transparente que te permite acessar o banco de dados tanto no cliente como no servidor.
  • Compensação de latência: No cliente é usado prefetching e model simulation na API do banco de dados para atingir latência zero no acesso de seus recursos.
  • Atualização automática das camadas: Por default tudo funciona em real-time. E todas as camadas da aplicação adotam o paradigma orientado à eventos, que é herdado do Node.js.
  • Abrace o ecossistema: Totalmente open-source o Meteor possui suas convenções pelo qual agrega novos valores ao invés de ser ferramenta uma que vai substituir outros frameworks atuais.
  • Simplicidade igual a Produtividade: Desenvolva de forma simplificada, utilize APIs fáceis de aprender e implementar, afinal essa será a melhor forma de criar uma aplicação.

Criando a primeira aplicação

Para criar um novo projeto, basta executar o comando create no terminal, junto com o nome que o projeto terá:

1
meteor create example

Vamos ver o projeto rodando:

1
2
3
cd example
meteor
// Depois acesse : http://localhost:3000/

O Meteor vem com algumas aplicações de demonstração que você pode experimentar. Basta executar uma das sequências dos comandos abaixo no terminal:

1
2
3
4
5
6
7
8
9
// app de tarefas
meteor create --example todos
cd todos
meteor

// exemplo de aplicação móvel
meteor create --example localmarket
cd localmarket
meteor

Conclusão

Essa foi uma introdução simples ao MeteorJS. O mesmo tem muitas vantagens como: Desenvolvimento em tempo real, desenvolvimento com uma linguagem única, fácil de aprender, fácil de configurar, recursos úteis, escabilidade e desenvolvimento ágil.

Portanto, tem muito a oferecer para um projeto web ou mobile.

Ao fechar este aviso ou continuar navegando no site Nerd Calistênico, você aceita o uso de cookies.

Este site usa cookies para assegurar a melhor experiência para os nossos usuários. Consulte nossa política de privacidade.

Uma nova versão está disponível. Clique aqui para atualizar.