Batman vs Superman - A Origem da justiça

Batman vs Superman - A Origem da justiça

Temendo as ações não controladas de um super-herói quase Deus, o vigilante de Gotham City assume o reverenciado papel de salvador de Metrópolis, enquanto o mundo argumenta sobre o tipo de herói que realmente precisa. E enquanto Batman e Superman estão em guerra, uma nova ameaça surge rapidamente, colocando a humanidade em um perigo que jamais imaginou.

Com Ben Affleck, Henry Cavill, Jesse Eisenberg, Gal Gadot, Amy Adams, Jeremy Irons, Diane Lane, Laurence Fishburne, Jason Momoa, Michael Shannon e mais.

Título original: Batman v Superman: Dawn of Justice

  • Data de lançamento: 24 de março de 2016 (Brasil)
  • Direção: Zack Snyder
  • Roteiro: Chris Terrio e David S. Goyer
  • Gênero: Ação, Aventura e Ficção científica
  • País: EUA
  • Duração: 151 min
  • Classificação: 12 Anos
  • Orçamento: $250 milhões

Personagens em destaque: Bruce Wayne/Batman Ben Affleck, Clark Kent/Superman Henry Cavill e Lex Luthor Jesse Eisenberg, Diana Prince/Mulher Maravilha Gal Gadot, Lois Lane Amy Adams e Alfred Jeremy Irons.

Logo de início tenho que alertar sobre onde verá o filme, tem que ser em poltronas confortáveis e que possa esticar as pernas, principalmente quem é alto. O filme tem a duração de 151 min e mais os trailers, então já tem que estar ciente que é preciso saber bem onde irá assistir.

E a moeda da sorte foi lançada, temos o filme que antecede o Liga da justica - Parte 1, que está previsto para novembro 2017. Já podemos sentir o gostinho do que virá pela frente com Superman, Batman, Mulher-Maravilha, Aquaman, Ciborgue e Flash.

O diretor Zack Snider, é conhecido por dar valor mais as imagens do que a narrativa. Isso é de se esperar, por ter começado a sua carreira como diretor e diretor de fotografia para comerciais de TV. Para o mesmo, uma imagem tem 1.000 palavras.

No longa o apelo visual é bem forte, obtendo vários momentos visuais marcantes, como: A morte dos pais de Bruce Wayne, Superman surgindo no céu como um Deus, a espera de Batman para o confronto em sua armadura e mais. Falando nisso, a fotografia fico por conta do Larry Fong.

Em um filme desse porte, é sempre preocupante a passagem do foco principal (Batman e Superman) e o enredo dos coadjuvantes (Mulher-Maravilha, Lex luthor e mais). E no final, alguns detalhes de narrativa, esclarecimentos e amadadurecimentos podem ser atropelados e forçados a serem colocados de lado. Senão daqui a pouco teremos um filme de 5 horas. O tão esperado Liga da justiça, já começará em duas partes.

Muito vai se falar que a opção do diretor por pouca narrativa, foi uma péssima ideia ou tinha muito a se explorar e etc.. Haverá muitos comentários sobre a busca do estúdio para se ter o lucro e o sucesso melhor que o de Os vingadores, e assim continuará a DC vs Marvel.

Vivemos em um mundo capitalista, com milhões de visões sobre um determinado assunto e como alguns sabem, há muitos fatores que podem influenciar em uma obra. Então nem vou entrar muito no mérito do que faltou, do que não precisava e etc.. Deixo para ter uma opinião mais formada em 2017, se muitas lacunas ficarem faltando.

Tenho que falar das atuações, onde Ben Affleck, agradou quem não confiava que o papel se encaixaria bem com o mesmo. Quanto ao Jesse, trouxe um novo perfil ao Lex Luthor, que pode não agradar a muitos. Com um perfil mais jovem e descolado, quebra a tradição de seus antecessores que tinham um ar mais ameaçador. Nada contra o Jesse, mas Michael Rosenbaum, ainda se encaixa bem no personagem, pelo perfil amigo, vilão, apaixonado, psicopata e vitimista. Conseguindo passar com facilidade de amigo de Clark kent, a inimigo do Superman. Pelo destaque que o coringa obteve nos últimos anos e pelo esperado Esquadrão suicida, a escolha de semelhanças com o mesmo, talvez não tenha sido o melhor caminho para Lex Luthor.

Conclusão

Acredito que o grande destaque foi para Ben Affleck, que teve mais momentos durante o longa e agradou como o Batman. Gal Gadot, também mostrou que veio para ficar e provando que devemos esperar antes de julgar antecipadamente. Não sei se estou puxando “sardinha” para o Batman, mas mesmo tendo acontecimentos sentimentais com o Superman, o mesmo acabou ficando em segundo plano. Pode ser também que a impressão se deve pela escolha do diretor por algo mais visual, não dando oportunidade para uma expressão mais sentimental do Homem de aço.

Bom filme, que merece até um bis, para uma opinião mais justa possível.

Ao fechar este aviso ou continuar navegando no site Nerd Calistênico, você aceita o uso de cookies.

Este site usa cookies para assegurar a melhor experiência para os nossos usuários. Consulte nossa política de privacidade.

Uma nova versão está disponível. Clique aqui para atualizar.