Independence Day - O Ressurgimento

Independence Day - O Ressurgimento

Após o primeiro ataque alienígena ocorrido em 1996, todas as nações da Terra se uniram para combater os extra-terrestres, caso eles retornassem. Para tanto são construídas bases na Lua e também em Saturno, que servem como monitoramento. Vinte anos depois, o revide enfim acontece e uma imensa nave, bem maior que as anteriores, chega à Terra. Para enfrentá-los, uma nova geração de pilotos é convocada pela presidente Landford (Sela Ward). Eles ainda recebem a ajuda de veteranos da primeira batalha, como o ex-presidente Whitmore (Bill Pullman), o cientista David Levinson (Jeff Goldblum) e seu pai Julius (Judd Hirsch).

Elenco

Liam Hemsworth, Jeff Goldblum, Bill Pullman, Jessie Usher, Maika Monroe, Vivica A. Fox, Sela Ward, William Fichtner, Judd Hirsch, James A. Woods, Charlotte Gainsbourg, Travis Tope, Joey King, Brent Spiner, Deobia Oparei e mais.

Dados técnicos

Título original: Independence Day: Resurgence

Personagens em destaque: Jake Morrison Liam Hemsworth, David Levinson Jeff Goldblum e Presidente Thomas J. Whitmore Bill Pullman.

Roteiro

O roteiro repete a mesma fórmula do primeiro e isso faz com que o mesmo não seja nada a mais que a busca por bilheteria. Mesmo com o problema da sensação de repetição, o longa traz algo muito bacana, que é a continuação dos personagens.

É algo muito legal e raro, se ter um filme e uma continuação décadas depois, com uma grande parte do elenco original.

A históra pode parecer complexa, mas se resume em uma frase: “Surge uma nave imensa para terminar o que se inciou a 27 anos atrás.”.

Interpretação

Creio que as atuações que se destacaram, foram a de Bill Pullman e Brent Spiner. Mas o destaque ficou com Pullman, que até falou sobre o seu personagem, quando veio divulgá-lo no Brasil.

Todos pensavam nele como um líder e como um guerreiro, e agora vemos como os eventos o marcaram.

Dessa vez, Whitmore, em sua loucura, vê o mundo mais claramente do que todos ao seu redor.

Se criou muita expectativa em cima de Jessie Usher, mas o mesmo não conseguiu ter o mesmo carisma de Will Smith, o deixado apenas como mais um personagem.

Fotografia

Acredito que a fotografia e a trilha sonora foram os pontos altos do filme. Markus Förderer, tem pouccos trabalhos no cinema, mas mostrou que sabe o que está fazendo. Você consegue ver mais do seu trabalho em: Hell(2011), Puppe, Icke & der Dicke(2012), Finsterworld(2013), O Universo no Olhar(2014) e I Remember(2015)

Trilha sonora

Thomas Wanker e Harald Kloser, já tem uma parceria de sucesso nos longas: 10.000 a.C.(2008), 2012(2009) e O Ataque(2013).

David Arnold, além de ser o compositor musical do primeiro filme da série, tem em seu currículo trabalhos como: Stargate - A Chave Para o Futuro da Humanidade(1994), 007 O Amanhã Nunca Morre(1997), Godzilla(1998), 007 - O Mundo Não é o Bastante(1999), 007 - Cassino Royale(2006) 007 - Quantum of Solace(2008) e mais. Se vê que Arnold é especializado em 007.

Edição

Adam Wolfe, já fez bons trabalhos como: Parceiros da Vida(1999-2005), Mentes Criminosas(2008-2012), O Ataque(2013) e mais.

Direção

Roland Emmerich, tem trabalhos como: Soldado Universal(1992), Stargate - A Chave Para o Futuro da Humanidade(1994), Independence Day(1996), Godzilla(1998), O Patriota(2000), O Dia Depois de Amanhã(2004), 10.000 a.C.(2008), 2012(2009), O Ataque(2013) e mais.

O diretor alemão fez em sua maioria filmes de catástrofe, ficção científica e de ação. Se vê que o mesmo tem muita experiência e projetos bem sucedidos nesses segmentos.

Entretenimento

O mesmo fica questionável para uma questão de entretenimento, pois tem fatores que não agradam a maioria, como: ter mais de duas horas de duração e ser muito voltado para a ficção científica. Sendo o maior motivo para se assistir ao longa, é o seu predecessor de 1996.

Curiosidades

  • Logo após o sucesso do primeiro filme, a Fox, estúdio que o produziu, contratou o roteirista Dean Devlin para começar a escrever o roteiro de uma sequência. Ele não gostou do resultado final, não entregou o roteiro para os produtores e ainda devolveu o dinheiro à Fox. Apenas 15 anos após, quando o diretor Roland Emmerich o chamou para trabalhar na sequência, é que ele sentiu que tinha a história perfeita.
  • Will Smith chegou a estar ligado à sequência, mas o estúdio declinou de sua participação por causa do alto valor pedido pelo ator para as prováveis duas sequências: um salário de U$ 50 milhões.
  • A atriz Susan Sarandon recusou um papel principal no filme, por achar que o seu roteiro era muito confuso.

Conclusão

Esse artigo não teve muito conteúdo por causa da correria dessas últimas semanas. Vi o longa a mais de 10 dias atrás, mas só agora postando sobre o mesmo.

O longa perde muito sem a presença do Will Smith, e por ser tratar de uma ficção científica que se baseia muito no CGI, perde muitos pontos.

Ganha pontos pela nostalgia e por nos dar a oportunidade de ver alguns atores décadas depois, mostrarem a continuação do seu personagem.

Ao fechar este aviso ou continuar navegando no site Nerd Calistênico, você aceita o uso de cookies.

Este site usa cookies para assegurar a melhor experiência para os nossos usuários. Consulte nossa política de privacidade.

Uma nova versão está disponível. Clique aqui para atualizar.