Jogo do Dinheiro

Jogo do Dinheiro

Lee Gates (George Clooney) é uma personalidade da TV, que se tornou conhecido como o guru de Wall Street ao utilizar informações privilegiadas da Bolsa de Valores. Porém, quando Kyle (Jack O’Connell), um telespectador, perde todas as economias da família, graças a uma dica do apresentador, ele decide fazê-lo refém no ar, criando uma situação tensa e elevando os níveis de audiência.

Com George Clooney, Julia Roberts, Jack O’Connell, Dominic West, Caitriona Balfe, Christopher Denham, Giancarlo Esposito, Condola Rashad, Lenny Venito, Greta Lee, Emily Meade, Grant Rosenmeyer, Chris Bauer e mais.

Título original: Money Monster

Personagens em destaque: Lee Gates George Clooney, Patty Fenn Julia Roberts e Kyle Budwell Jack O'Connell.

Temos a oportunidade de ver o quarto filme que conta com a direção de Jodie Foster. A mesma ficou responsável pela direção de filmes, como: Mentes que Brilham(1991), Feriados em Família(1995) e Um Novo Despertar(2011). Também à frente da direção de alguns seriados, como: Contos Da Escuridão - Temporada 4 - Episódio 15(1988), Orange Is the New Black - Temporada 1 - Episódio 3 (2013), Orange Is the New Black - Temporada 2 - Episódio 1 (2014) e House of Cards (US) - Temporada 2 - Episódio 9 (2014).

A química entre os 3 atores principais é muito boa. Mesmo o foco sendo mais em Clooney, os coadjuvantes Roberts e Budwell, conseguem fazer uma assistência fundamental.

O longa coloca um pé na comédia, bem descaradamente, tendo muitas piadas com as situações e comportamento dos personagens.

Acredito que o filme foi muito para o lado de entretenimento, até demais. Se tratando de uma sátira ao jornalismo que nos traz algumas semelhanças com o que vemos na TV, de uma forma um pouco forçada na questão do desfecho.

O longa faz uma crítica a mudança dos valores que existe com relação a informação. Podemos constatar referências de alguns filmes no roteiro, como: A montanha dos sete abutres(1951), Rede de intrigas(1976) e O quarto poder(1997).

A montanha dos sete abutres(1951) - Clássico do gênero, que discute a ética na profissão. O desmoronamento de uma caverna aprisiona um homem e o assunto vira uma questão nacional. Em decadência, o veterano repórter vivido por Kirk Douglas vê a história com sua redenção. Assume o comando da situação, amplificando o drama e prolongando o resgate.

Rede de intrigas(1976) - Filme que explora os limites éticos da profissão. Apresentador de TV é demitido por causa dos baixos níveis de audiência de seu programa. Anuncia que vai se matar com o programa no ar. O público pede sua volta e a rede, vendo os índices de audiência subirem, resolve bancar a empreitada.

O quarto poder(1997) - O quarto poder é uma expressão utilizada com conotação positiva de que a Mídia exerce tanto poder e influência em relação à sociedade quanto os Três Poderes nomeados em nosso Estado Democrático (Legislativo, Executivo e Judiciário). A intenção de ilustrar a Mídia como Quarto Poder demonstra que, nos tempos atuais, a Imprensa tem servido de Cão de Guarda, para a sociedade.

Com isso, já temos em mente que Foster, não traz nenhuma novidade. Sendo uma mesclagem de muitos elementos que podemos conferir em outros longas.

Na minha experiência com o filme, se é criado uma expectativa que no final, não corresponde. Nos primeiros minutos o suspense te mantém grudado na cadeira, sendo motivado a pensar em várias possibilidades.

Em muitos momentos, há a impressão que existe algo por trás. Que o Kyle, na verdade tem um plano secundário, que não foi uma medida desesperada apenas. A cena com sua namorada, é bem estimulante para esse pensamento. O peso na consciência de Clooney, tem uma reviravolta muito rápida, não ficando muito legítimo que o mesmo se encaixasse no papel de apresentador irresponsável. Ao ver o personagem de Clooney, me veio na cabeça o ator Gerard Butler. O mesmo já viveu um personagem parecido e se encaixaria bem.

Mesmo assim, não acredito que o foco do problema não fique nas atuações. Os atores estavam muito bem em seus papéis. Sendo assim, a responsabilidade ficando mais na questão de se atirar para todo o lado.

Portanto, a construção de suspense não foi bem contruído por Foster. Em vários momentos, sempre achava que tinha algo que daria uma reviravolta, mas era apenas aquilo que estavamos vendo. Tendo uma apresentação rápida das subtramas.

Conclusão

O longa mantém a sua força nos atores. Sendo um bom filme para entreter e dar algumas risadas. Usou bastante o tom da comédia, mas pecou na construção de suspense. Fazendo a expectativa do início do longa, virar algo difícil de entender em seu desfecho.

A sensação ao sair da sala de cinema, é não saber como classificar o filme. O personagem Kyle, ficará perdido em sua mente. Você irá pensar: “No final, ele só se ferrou mesmo. :/“.

Veja bons atores, dê boas gargalhadas, mas não espere ver um filme com um suspense bem construído, pois será levado a isso, e o desfecho pode ser frustrante.

Ao fechar este aviso ou continuar navegando no site Nerd Calistênico, você aceita o uso de cookies.

Este site usa cookies para assegurar a melhor experiência para os nossos usuários. Consulte nossa política de privacidade.

Uma nova versão está disponível. Clique aqui para atualizar.