O Caçador e a Rainha do Gelo

O Caçador e a Rainha do Gelo

Depois de passar por um trauma, a irmã boa da Rainha Ravenna, desperta os seus poderes mágicos e se isola. Freya constrói seu próprio reinado e se torna a Rainha do Gelo. A mesma recruta crianças para compor seu exército. Dois dos seus melhores recrutas, Eric e Sara, crescem e se apaixonam. Quando Freya percebe que foi “traída”, no entanto, separa os dois. Paralelamente, o poderoso espelho mágico é dado como desaparecido. E será preciso impedir que o objeto caia nas mãos da nova rainha.

Com Chris Hemsworth, Charlize Theron, Jessica Chastain, Emily Blunt, Nick Frost, Rob Brydon, Sheridan Smith, Alexandra Roach e mais.

Título original: The Huntsman: Winter’s War

Personagens em destaque: O Caçador Chris Hemsworth, Ravenna Charlize Theron, Sara Jessica Chastain e Freya Emily Blunt.

O longa vem como complemento para contar mais sobre a história do Caçador, que nos é apresentado no Branca de Neve e o Caçador, primeiro filme da franquia. A ordem cronologia do filme é interessante, pois o enredo do longa se passa antes e depois do primeiro. Então, não é apenas uma volta ao passado ou apenas uma continuação.

Com o foco na história do caçador, o filme conta a vida do mesmo da infância, com uma passagem rápida para a vida adulta, já que não teve muitos acontecimentos importantes nesse período. Seguindo o título do longa, temos a subtrama que conta os motivos que transformaram a boa Freya, na Rainha do Gelo.

O longa tem os seus momentos na questão técnica, onde podemos ver alguns momentos interessantes enriquecidos pela música de James Newton Howard e a fotografia por conta de Phedon Papamichael.

Os ingredientes que já tem um modelo de sucesso, não traz muitas novidades. Temos o mocinho, a mocinha, ajudantes para companhia e piadas, uma aventura e uma rainha má.

O filme se mostra melhor que o primeiro, na questão de química com o casal de protagonistas. O ritmo se mostra quase semelhante ao primeiro filme da franquia, mas puxadas mais para as tiradas de piada e a soluções para as dúvidas. O ponto interessante são as constantes soluções, fazendo que o filme não fique preso apenas a uma história.

A cada passo temos uma novidade da história, nos fazendo achar que o filme passou muito rápido. Isso tem seu lado positivo e negativo. Negativo como o Quarteto fantástico, que parecia um trailer. Positivo que o filme não se torna cansativo, nos dando a sensação de ser rápido, mesmo com a sua duração de praticamente 2 h. E o bônus de algumas subtramas, que se fossem a trama principal, seriam muitos batidas. Então, ficaram bem, como foram apresentadas.

Conclusão

É um longa de entretenimento, bem ao estilo Disney. Não é um filme que faz sair correndo para ver e nem é uma super produção que gastou dinheiro à toa. Fantasia, aventura e ação. Tendo como complemento as tiradas de piada e a explicação da história que faz o primeiro filme da franquia ter mais graça.

Ao fechar este aviso ou continuar navegando no site Nerd Calistênico, você aceita o uso de cookies.

Este site usa cookies para assegurar a melhor experiência para os nossos usuários. Consulte nossa política de privacidade.

Uma nova versão está disponível. Clique aqui para atualizar.