Special Correspondents

Special Correspondents

Um jornalista de rádio e seu técnico criam um grande plano: os dois decidem fingir os próprios sequestros durante um levante rebelde na América do Sul. Para executar o plano, eles se escondem em Nova Iorque. O problema é que as coisas vão longe demais.

Com Eric Bana, Ricky Gervais, Vera Farmiga, Kevin Pollak, America Ferrera, Raul Castillo, Benjamin Bratt e mais.

Título original: Special Correspondents

  • Data de lançamento: 29 de abril de 2016 (Brasil)
  • Direção: Ricky Gervais
  • Roteiro: Ricky Gervais
  • Gênero: Comédia dramática
  • País: EUA, Reino unido e Canadá
  • Duração: 100 min
  • Classificação: 16 Anos
  • Orçamento: $-

Personagens em destaque: Frank Bonneville Eric Bana, Ian Finch Ricky Gervais, Eleanor Finch Vera Farmiga e Claire Maddox Kelly Macdonald.

A Netflix aposta em mais uma comédia e colocam uma grande confiança em Ricky Gervais. O mesmo fica responsável por ser um dos protagonistas, roteirista e diretor do filme.

O longa se trata de uma refilmagem de Envoyés très spéciaux, um filme francês de 2009. Como ainda não vi o filme original, não posso fazer comparações. Sobre o longa em questão, pra mim, já se perde alguns pontos por não ser uma obra original. Ex-jornalista americano que ficou famoso por ter fraudado boa parte das reportagens de sua autoria.

A proposta de Gervais, é fazer uma sátira sobre até que ponto se chega, para dar uma notícia. Podemos relembrar da história real de Stephen Glass. No fim da década de 90, descobriu-se que o jornalista havia inventado informações em pelo menos 27 das 41 matérias que assinou na revista The New Republic, onde era contratado. Glass também contribuía para outros veículos de prestígio, como a Rolling Stone e a extinta George.

Não posso deixar de mencionar que a produção é bem feita, mesmo sendo até relatado no próprio filme, que se trata de uma produção de baixo orçamento.

Gervais, é bem conhecido pela sua visão bem autoral, sendo alvo de muitas críticas por alguns trabalhos já feitos em séries e filmes. Mas as vezes tendo muito mais destaque, pelas piadas pesadas como apresentador de algumas premiações.

O tom de comédia e drama, não ficam claros ou em um ritmo linear. Uma das características do diretor, é a história sair um pouco com os pés do chão. E nesse longa, não é diferente. Temos um período cansativo na apresentação do enredo e um desfecho bem conveniente. Onde a graça do roteiro, se encontra na solução para a encrenca que se meteram. E a mesma, foi decepcionante.

Conclusão

A sensação logo após ao assistir o longa, é de que se tinha uma boa história que poderia ser melhor aproveitada. Criando uma dúvida, de como avaliar o filme. Em resumo, posso dizer que o filme tinha mais potencial.

Seria frustrante, vê-lo no cinema. Estando na Netflix, tendo um domingo bem parado, ele lhe ajudará a passar o tempo.

Ao fechar este aviso ou continuar navegando no site Nerd Calistênico, você aceita o uso de cookies.

Este site usa cookies para assegurar a melhor experiência para os nossos usuários. Consulte nossa política de privacidade.

Uma nova versão está disponível. Clique aqui para atualizar.